terça-feira, 20 de julho de 2010

Feliz Dia do Amigo!


Apesar da ausência minha e sua...
Trago você em meu coração...
Não esqueço de nada que vivi...
Quando fecho os olhos lembro de cada sorriso, cada olhar, cada lágrima...
Sinto saudade!
Feliz Dia do Amigo!
Beijos

sábado, 15 de maio de 2010

Eu também quero...


“Quero um Deus que não saiba rezar, que morda a língua e envergonhe a família. Um Deus que não saiba ensinar e que não se preocupe em aprender.
Quero um Deus fantasiado de colombina, que traduza em sons toda a melancolia de viver.
Quero um Deus que morra antes de eu nascer, que é para eu não lembrar nem ter saudades dele.
Quero um Deus meu, que saiba fazer pizza e caipirinha.
Quero um Deus que precise tragar fumaça para se convencer que o mundo é uma tragédia, que se coloque num altar e, embriagado, diga que a vida é linda e que meus pais me amam.
Quero um Deus sujo, que seja pedreiro e que não ganhe nada. Quero mandá-lo embora e depois esperá-lo até que ele volte.
Quero um Deus lindo e fotógrafo, que não use flash e que xingue o juiz de futebol. Quero chorar por achar esse Deus tão lindo.
Quero um Deus morto, que não dê trabalho, e que morra sem dizer um pio, que é para não atormentar.
Quero um Deus triste e que tenha medo de avião.
Quero um Deus que me ouça dizer um palavrão e que ria, me chamando de criança.
Quero um Deus que cante desafinado e que não viva sem mim.
Quero um Deus que me dê chocolate aos sábados, e que goste de me ver de branco.
Quero um Deus gordo, que passe pasta de dente em queimadura.
Quero um Deus que saiba imitar gato e bem-te-vi. Que conte a história do boneco de pau que comeu a maçã envenenada.
Quero um Deus azul que limpe os óculos com a camisa, e que ande com os pés pra dentro, que é para eu rir.
Quero um Deus sozinho, que precise de mim e mande me chamar na escola. Que diga que vai morrer, só para me ver chorar.
Quero um Deus completamente pobre, que diga que é rico e que vai comprar a lua para mim.
Quero um Deus amigo dos ladrões e dos barbeiros, que saiba dirigir caminhão e que me ensine coisas da vida.
Quero um Deus mocinho, que é para eu ensiná-lo que o Papai Noel não mora no Pólo Norte, e sim na América do Sul.
Quero um dia de manhã ir acordar esse Deus com um pássaro ferido achado em nosso quintal, e ele me chamar de criança, fechar os olhos e dormir para sempre.”

Silmara Franco

terça-feira, 13 de abril de 2010

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Valeu a pena!



"O mar escuro

Trará o medo

Lado a lado

Com os corais

Mais coloridos..." (O Rappa)

Vencer o medo pode trazer recompensas inimagináveis...

Por isso sempre vale a pena tentar vencer o medo...

o medo de amar...

o medo de sofrer...

o medo de perder...

o medo de sentir...

o medo de ser...

Ao final de tudo, é muito bom olhar pra trás e poder dizer: valeu a pena!

Valeu a pena!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

ANOREXIA

"Ele mantém a cabeça ocupada, como se assim evitasse a doença do amor. Para não pensar no que já lhe tomou todo o corpo. E assim se divide em dois. Dois ou mais. Nunca está inteiro. Nunca está. Como se já se tivesse ido também. Mas há uma dor em suportar sua própria ausência. O que lhe parecia remédio agora dói. E não cura". (Cris Guerra)

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

VOCÊ QUER ISSO PRA 2010???




Vamos deixar que entrem

Que invadam o seu lar

Pedir que quebrem

Que acabem com seu bem-estar

Vamos pedir que quebrem

O que eu construi pra mim







Que joguem lixo

Que destruam o meu jardim








Eu quero o mesmo inferno

A mesma cela de prisão

- a falta de futuro

Eu quero a mesma humilhação

- a falta de futuro







Vamos deixar que entrem
Que invadam o meu quintal
Que sujem a casa
E rasguem as roupas no varal

Vamos pedir que quebrem
Sua sala de jantar
Que quebrem os móveis
E queimem tudo o que restar



Eu quero o mesmo inferno
A mesma cela de prisão
- a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação
- a falta de futuro
Eu quero o mesmo inferno
A mesma cela de prisão
- a falta de futuro

O mesmo desespero


Vamos deixar que entrem
Como uma interrogação
Até os inocentes
Aqui já não tem perdão


Vamos pedir que quebrem
Destruir qualquer certeza
Até o que é mesmo belo
Aqui já não tem beleza


Vamos deixar que entrem
E fiquem com o que você tem
Até o que é de todos
Já não é de ninguém

Pedir que quebrem
Mendigar pelas esquinas
Até o que é novo
Já esta em ruinas


Vamos deixar que entrem
Nada é como você pensa
Pedir que sentem
Aos que entraram sem licença


Pedir que quebrem
Que derrubem o meu muro
Atrás de tantas cercas
Quem é que pode estar seguro?



Eu quero o mesmo inferno
A mesma cela de prisão
- a falta de futuro
Eu quero a mesma humilhação
- a falta de futuro
Eu quero o mesmo inferno
A mesma cela de prisão
- a falta de futuro
O mesmo desespero
.
.
Eu desejo que 2009 marque " o fim dessa era em que sentimos as nossas vidas morrerem através de janelas..."
Desejo que em 2010 "não mais respeitaremos nenhuma lei que diga que não podemos ser felizes..."
Desejo que ao primeiro raiar de sol de amanhã seja declarado "o fim destas lágrimas e que joguemos nossos braços aos céus e não olhemos mais para trás..."
Desejo para todas melhores escolhas em 2010!!!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Que valor você tem?


Durante os mais de dois anos em que estou aqui me deparei inúmeras vezes com pessoas que se sentiam desvalorizadas, anuladas pelos outros, sem auto-estima...


Outro dia, uma pessoa que amo muito me disse a seguinte frase:


"Estou batalhando diariamente contra a minha falta de confiança tanto pessoalmente como profissionalmente. Talvez minha falta de confiança que me faz trabalhar mais que todos e me faz perder o sono por não ser o que as pessoas que me rodeiam esperam que eu seja..."


É possível ser o que as pessoas esperam de nós?

É possível atender a todas as expectativas dos outros a nosso respeito?

Tentar fazer isso não é tentar alcançar o inalcançável?

Tentar ser qualquer coisa que não o que somos não é criar uma ficção a respeito de nós mesmos?

Qual o preço que pagamos por tentar atender a essas expectativas?



Pensando nisso, lembrei de uma parábola antiga que muitos devem conhecer mais que vale a pena relembrar:

.

"Alguém disse pra um amigo: "me sinto tão pouca coisa, me sinto tão sem valor, acho que não sirvo pra nada, que não tenho forças para fazer nada. O que posso fazer para que me valorizem mais?



O amigo, sem olha-lo, disse: - "Sinto muito mas não posso te ajudar agora, devo primeiro resolver o meu próprio problema. Se você me ajudasse, eu poderia resolver este problema com mais rapidez e depois talvez possa te ajudar."



"Claro", gaguejou o jovem, mas se sentiu outra vez desvalorizado e hesitou em ajudar seu amigo. O amigo tirou um anel que usava no dedo pequeno e disse:

- Vá até o mercado. Devo vender esse anel porque tenho que pagar uma dívida. É preciso que obtenhas pelo anel o máximo possível, mas não aceite menos que uma moeda de ouro. Vá e volte com a moeda o mais rápido possível.



O jovem pegou o anel e partiu. Mal chegou ao mercado começou a oferecer o anel aos mercadores. Eles olhavam com algum interesse, até quando o jovem dizia o quanto pretendia pelo anel. Quando o jovem mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saiam sem ao menos olhar para ele, mas só um velhinho foi amável a ponto de explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar um anel. Tentando ajudar o jovem, chegaram a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem seguia as instruções de não aceitar menos que uma moeda de ouro e recusava as ofertas.



Depois de oferecer a jóia a todos que passaram pelo mercado, abatido pelo fracasso ele voltou. O jovem desejou ter uma moeda de ouro para que ele mesmo pudesse comprar o anel, assim livrando a preocupação de seu amigo e assim podendo receber ajuda e conselhos.Entrou na casa e disse: - Sinto muito, mas é impossível conseguir o que me pediu. Talvez pudesse conseguir duas ou três moedas de prata, mas não acho que se possa enganar ninguém sobre o valor do anel.



- Importante o que disse meu jovem, contestou sorridente. - Devemos saber primeiro o valor do anel. Volte ao mercado e vá até o joalheiro. Quem melhor para saber o valor exato do anel? Diga que quer vender o anel e pergunte quanto ele te dá por ele. Mas não importa o quanto ele te ofereça, não o venda Volte aqui com meu anel.



O jovem foi até o joalheiro e lhe deu o anel para examinar. O joalheiro examinou o anel com uma lupa, pesou o anel e disse: - Diga ao seu amigo, se ele quer vender agora, não posso dar mais que 58 moedas de ouro pelo anel.



- 58 MOEDAS DE OURO!!! Exclamou o jovem.



- Sim, replicou o joalheiro, eu sei que com tempo eu poderia oferecer cerca de 70 moedas , mas se a venda é urgente...


O jovem correu emocionado a casa do amigo para contar o que ocorreu.


- Senta. Disse o amigo e depois de ouvir tudo que o jovem lhe contou disse:


- Você é como esse anel, uma jóia valiosa e única. E que só pode ser avaliada por um expert. Pensava que qualquer um podia descobrir o seu verdadeiro valor??? E dizendo isso voltou a colocar o anel no dedo.


- Todos somos como esta jóia: Valiosos e únicos e andamos por todos os mercados da vida pretendendo que pessoas inexperientes nos valorizem."


Em todo esse tempo que estou aqui, tive a sorte e a felicidade de encontrar pessoas incríveis. Convivi com pessoas sensíveis, inteligentes, estudiosas, boas filhas, boas amigas, dedicadas, gentis e etc. Sabe o que todas elas tinham em comum? Nenhuma sabia do seu verdadeiro valor. Todas elas queriam ser o que elas achavam que os outros esperavam delas e com isso iam se esquecendo de quem eram de verdade e iam perdendo as suas melhores características, aquelas que realmente tinham valor.

E eu pergunto:

"E se a questão não for por que é tão raro você ser a pessoa que realmente quer ser, e, sim, por que é tão raro você querer ser a pessoa que realmente É? (Oriah M. Dreamer)


Em 2010 desejo a todas vocês que vocês sejam exatamente o que são!


O blog continua ativo!

Um grande beijo!

Amo vocês!