segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

COMEÇAR DE NOVO!



Não resisti em deixar um último post para este ano que se finda...



Deixo um poema...

uma canção,

uma mensagem

e uma flor!



"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas ...

Que já têm a forma do nosso corpo ...

E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares...

É o tempo da travessia ...

E se não ousarmos fazê-la...

Teremos ficado ...

para sempre ...

À margem de nós mesmos..."

(Fernando Pessoa)

http://youtube.com/watch?v=zjehC-hAMHM&feature=related
Amo vocês!
E que venha 2008!

domingo, 23 de dezembro de 2007

QUE VENHA 2008!




Última semana do ano...

É sempre uma época de reflexões...

Não queria que este último texto do ano fosse apenas para desejar Feliz Natal, Boas Festas e um Feliz 2008, embora eu deseje isso de coração a todas vocês que estiveram nos últimos cinco meses acompanhando o Thinspoaction.

Então eu escolhi escrever hoje sobre um filme chamado Uma Mente Brilhante. O filme é baseado na vida real de John Nash (Russell Crowe). Ele é um matemático que, aos 21 anos, foi considerado um gênio. Mas aos poucos, ele vai se transformando numa pessoa sofrida e obcecada. O mundo dele vai se transformando paulatinamente num mundo que só existe dentro da sua cabeça. Aos poucos ele começa a perder a noção entre o que é real e o que é imaginário.

O que esse filme tem a ver com Ana e Mia? Tudo e nada ao mesmo tempo!

A primeira cena pinçada deste filme é uma frase dita por Nash quando ele ainda está sem sintomas:

“Como vocês verão, há sempre várias soluções para cada tipo de problema”.

Vocês já pararam pra perceber quantas vezes a gente insiste numa mesma forma de resolver um problema quando essa forma nunca chegou nem perto de trazer uma solução para o problema?

E quando se trata de emagrecer, qual a solução que vocês encontraram no ano de 2007 para resolver esse problema que é, para algumas, uma questão vital? Muitas acharam na Ana e na Mia a solução definitiva para o emagrecimento. Mas será que é isso mesmo? Será que essa é mesmo uma solução? E se for, será a única e melhor solução? É necessário repetir em 2008 todo o sofrimento de 2007?

No mundo de John Nash, os comportamentos dele eram aceitos e até encorajados e por isso a doença dele passou tanto tempo despercebida. No mundo de hoje, a sociedade parece exercer uma grande pressão em relação a ter corpos perfeitos. As mulheres são encorajadas, estimuladas e até forçadas a terem corpos belos, malhados e esculturais. Mas não será exatamente isso que faz com que a anorexia e a bulimia passem despercebidas como doença até mesmo para quem as tem?
.
Afinal, anorexia e bulimia é uma forma de emagrecimento ou é uma doença?

Quem tem Ana e Mia de verdade, sabe exatamente que é uma doença e que não se trata de ter um corpo perfeito e sim uma forma extrema de lidar com uma dor que não cessa de se atualizar a cada vez que se olha no espelho. No entanto, essas mesmas pessoas que padecem desses transtornos lidam com isso de uma forma pública que acaba por fazer uma apologia a eles.

Quem nunca foi abordado por adolescentes dizendo: “me ensina a ser Ana”? ou Como faço pra ser Mia?

Que responsabilidades temos sobre a propagação de uma doença que mata 10% de suas vítimas?

Hoje conversei com uma adolescente de 17 anos que tem 1,57, 43 kg e que havia sido abusada pelo pai na infância. Perguntei-lhe até onde ela queria chegar e a resposta foi: 30 kg ou menos!

Qual a diferença entre essa adolescente e John Nash? Nenhuma! Ambos vivem num mundo irreal! No caso dele, ele acreditava que conseguiria salvar o mundo de uma destruição usando sua mente. No caso dela, ela acha que consegue salvar seu mundo interno usando seu corpo. Pra ela, imaginariamente, ser magra resolve todos os seus problemas. Isso é real?

O começo da cura de John Nash se dá de forma bem dramática no filme. Após quase matar o único filho afogado, ele começa a perceber que as pessoas que habitam o seu mundo e com as quais ele interage normalmente não são reais. Ele se dá conta disso quando percebe que eles não envelhecem. Esse é o único dado de realidade que ele tem para compreender a doença, então ele diz: “eu compreendo!”

E você, quais os dados de realidade que você pode lançar mão para distinguir o que é emagrecimento e o que é doença? O espelho é o pior dado de realidade que você pode lançar mão. O dado tem que ser concreto, então você poderia usar a balança, definindo um peso X para você, usando o IMC como balizador.

Nenhuma modelo pode desfilar numa passarela com o IMC abaixo de 18, porque algumas meninas insistem em viver com bem menos que isso? Isso é real? Se você estabelecer como meta um IMC de 18, de uma certa forma você estaria ancorada num dado de realidade e qualquer outra coisa que o espelho ou sua mente dissesse deveria ser encarado como uma alucinação.

No filme, John Nash tem que abrir mão de seu “melhor amigo” Charlie e dos demais personagens que habitam seu mundo porque compreende, finalmente, que eles são uma fantasia. Ele diz: “me acostumei a ignorá-los e eles acabaram desistindo de mim.” Não seria assim também com a Ana e a Mia, uma ficção para ajudar a lidar com as dores do mundo real?

Nash se pergunta: Acha que é assim com todos os nossos sonhos e pesadelos? Temos que “alimentá-los” para ficarem vivos?

E você, acha que está alimentando um sonho ou um pesadelo com a Ana e a Mia?

No final do filme, Nash conta o segredo de sua vitória sobre a doença:

“Eu ainda vejo coisas que não estão aqui. Apenas decidi não lhes dar atenção. Como uma “dieta” para a mente, decidi não favorecer certos apetites, como meu apetite por padrões de perfeição.


E você, acha que pode tentar vencer o seu apetite por perfeição?

Em 2008, desejo que seu apetite seja pela vida!


Um beijo no coração de todos que conviveram comigo durante 2007!
.
E que venha 2008!

sábado, 8 de dezembro de 2007

DIETA THIN-K ABOUT - JUNTAS TEMOS MAIS FORÇA!




Meninas!
Natal é uma época de muitas ansiedades!
Tá todo mundo querendo emagrecer! No meio desse alvoroço todo aparecem muitas dietas malucas tais como a Dieta Bundtchen, a Dieta do Um, a Dieta do Nada...

Não tem nada que faça engordar mais do que uma dieta errada!

Que tal emagrecer 4 kg em uma semana? E que tal fazermos isso juntas?

A dieta que vamos compartilhar foi elaborada por uma nutróloga e é um programa rico de líquidos que ajuda a desintoxicar o organismo e ainda afina a silhueta. Além de desintoxicar ela também é diurética, fundamental para diminuir as medidas. A quantidade de fibras também é alta, estimulando o intestino e acelerando o metabolismo. Assim queima mais calorias!!!

A dieta deve ser feita por apenas sete dias! Inclua o chá verde durante todo o dia (existe o chá verde em caixa de 01 litro com zero cal, sem o sabor amargo)


DIA 1


A primeira coisa ao acordar é tomar um copo de água ou um copo de chá verde quente ou gelado! Válido para todos os dias.
.
Café da manhã (Pequeno Almoço)
01 copo de água de côco (pode ser de caixinha)
.
Lanche

Suco feito com meia maçã batida com iogurte light (pode também picar a maçã e colocar no iogurte)
.
Almoço (essa vai ser sua refeição principal, não pule o almoço) A regra é: um carboidrato + uma proteína + salada verde

01 salada verde a vontade c/ cenoura e tomate
02 ovos de codorna
03 colheres de arroz integral

Lanche
01 taça de gelatina batida c/ meio iogurte integral

Jantar

01 prato de sopa de legumes (não pode ter batata na sopa)

ou

01 prato de sopa de pepino e kani-kama
ou

01 prato de sopa de repolho
.
ou
01 tostex de pão integral e queijo magro
01 xícara de chá verde 30 minutos depois
.
Obs.: Substituir a sopa por sopa diet (de saquinho) não é aconselhável. Mas se resolver fazer isso por conta e risco, acrescente duas torradas.

Ceia
01 xícara de chá de hortelã ou camomila


* Se você trabalha ou estuda e tem dificuldade de fazer os lanches, estes podem ser substituídos por sucos de soja (de caixinha) pela manhã ou barrinhas de cereal (a tarde) ou você pode incluir o primeiro lanche junto ao café da manhã com um intervalo de 30 minutos.

DIA 2

Café da Manhã

01 copo de suco de melancia
ou
um copo de suco de melão
.
Lanche
01 pote de iogurte natural desnatado batido com 3 ameixas secas
.
Almoço
03 colheres de arroz e 01 proteína (carne , peixe, soja, ovo ou frango)
verdura a vontade
.
Lanche
1/2 mamão papaia batidos no liquidificador c/ 01 copo de leite desnatado e uma
01 colher de aveia
.
Jantar
(qualquer uma das opções do dia 1)
.
Ceia
01 pera
01 chá de camomila


Dia 3


Café da Manhã
01 copo de suco
ou
01 copo de água de côco (pode ser batido junto com a popa do côco) ou água de côco de caixinha
.
Lanche
01 copo de iogurte batido com 01 copo de suco de uva
.
Almoço
salada de alface, tomate e palmito a vontade
01 bife pequeno
01 batata cozida (pequena)
.
Lanche
01 xícara de chá verde

Jantar
Qualquer das opções do primeiro dia
.
Ceia
01 xícar de chá de erva doce com 01 colher de sopa de leite em pó desnatado


DIA 4

Café da manhã
01 copo de água de côco (pode ser de caixinha)
ou
01 suco (evitar o de laranja, por ser muito calórico)
.
Lanche
01 iogurte desnatado batido com uma fruta
.
Almoço
01 proteína + 01 carboidrato + verduras
.
Lanche
01 suco feito com 2 fatias de melão, 1/2 pera e 1/2 copo de água
.
Jantar
Qualquer uma das opções do primeiro dia
.
Ceia
Uma xícara de chá de camomila

DIA 5
.
Café da manhã
01 suco de 1/2 maçã, 1/2 pêra, 01 fatia de melão, folhas de hortelã
.
Lanche
01 pote de iogurte natural batido com 01 pêra
01 xícara de chá verde
.
Almoço
01 proteína + verduras (hoje é sem carboidrato)
.
Lanche
01 colher de sopa de queijo cottage + 01 kiwi (pode ser substituido por pera ou maçã)
.
Jantar
Qualquer uma das opções do primeiro dia
.
Ceia
01 copo de leite desnatado
.
DIA 6
.
Café da manhã
01 suco de melão
.
Lanche
01 ovo cozido
.
Almoço
01 carboidrato + 01 proteína + verduras
.
Lanche
01 taça de gelatina diet batida com meio pote de iogurte natural desnatado
.
Jantar
Qualquer uma das opções do primeiro dia
.
Ceia
01 xícara de chá de camomila batido comuma fatia de manga
.
DIA 7
.
Café da manhã
01 fatia grossa de abacaxi
.
Lanche
01 pote de iogurte natural desnatado batido com meio mamão papaia
.
Almoço
01 carboidrato + 01 proteína + verduras
.
Lanche
01 taça de gelatina diet
01 xícara de chá verde
.
Jantar
Qualquer uma das opções do primeiro dia
.
Ceia
01 xícara de chá de camomila
01 torrada

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

DIETA THIN-K ABOUT

Meninas da Blogosfera!

O Thinspoaction acaba de lançar a Maratona Thinspo! O objetivo é enxugar uns quilinhos até o Natal...

Estamos trabalhando com a mente e o corpo para tentar atingir esse objetivo e para isso foi lançada a Dieta Thin-k About... A idéia é emagrecer e pensar!

Vários desafios já foram lançados e eles são cumulativos a cada dia até o Natal:

Primeiro Desafio: Nada de doces até o Natal! Padaria virou cemitério! Se não for finados corra longe desse lugar!

Segundo Desafio: Nada de Carboidrato no café da manhã.

Terceiro Desafio: Nada de espelho até o Natal. Vamos deixar a surpresa para o final!

Quarto Desafio: Nada de refrigerantes. Barriga sequinha no Natal!

A partir de segunda a dieta se amplia e vai ser lançado uma lista de combinações líquidas que têm ação desintoxicante e Diurética, fundamental para diminuir as medidas, acelerar o metabolismo e queimar mais calorias. A dieta líquida vai durar 7 dias e tem o objetivo de emagrecer 4 kg!

Dessa forma, estamos convidando todas as meninas da blogosfera que tem interesse de emagrecer para se juntar ao Thinspoaction nessa aventura!

É tempo de Natal, uma época que nos aproxima uns dos outros! Que tal emagrecermos juntas e de forma saudável?





Ainda esta semana publicaremos a dieta e alguns textos para nos ajudar a pensar.
.
Thin-k About e junte-se a nós!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

THIN-K ABOUT

Este poema é dedicado à Natascha Kampusch e a todas as Thinspo Girls que têm em si uma alma que não aceita nada menos do que tentar ser feliz!
_________________________________________________


"Declararamos o fim dessa era
em que sentimos
as nossas vidas morrerem através de janelas
Não mais respeitaremos nenhuma lei
que diga que não podemos
que diga o que temos que fazer


Por que hoje o sol nasceu
declarando o fim destas lágrimas
e eu vou jogar aos céus meus braços
e não olhar mais pra trás


Hoje celebraremos nossa vitória
sobre o império da tristeza
e do medo da escuridão




Nunca mais viveremos à sombra
de teus deuses e reis




Brindamos mil paixões e dançaremos
porque hoje o sol nasceu
declarando o fim destas lágrimas
e eu vou jogar aos céus
os meus braços e não olhar mais pra trás!


(desconheço o autor)
Para Lana, Paula, Tati, três em uma, com carinho!

domingo, 2 de dezembro de 2007

SÍNDROME DE ESTOCOLMO - PARTE 2


Natascha só tinha 10 anos quando um evento mudou completamente sua vida. Ela foi seqüestrada e ficou cativa por 08 anos. O nome do seu seqüestrador e algoz era Wolfgang.

O que fez Natascha ficar tantos anos presa? A princípio, essa prisão era externa, tinha paredes, porta de ferro, trancas. Mas, com o passar do tempo, não havia nada mais disso... A sua prisão tinha se transformado numa prisão interna. Ela agora estava presa dentro de si mesma... sem possibilidades de fuga porque só ela tinha a chave e não a encontrava...

De seqüestrador cruel, Wolfgang foi lenta e imperceptivelmente se transformando num “amigo”, em alguém que “cuida”, em alguém que se podia confiar, talvez o único... Natascha chegou a afirmar: ““ Ele era parte de minha vida, por isso estou de luto..." Ao mesmo tempo que falava isso ela também “sonhava decapitá-lo com um machado
.
"Na Síndrome de Estocolmo as vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os sequestradores, a princípio como mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência. Pequenos gestos gentis por parte dos captores são frequentemente amplificados porque, do ponto de vista do refém é muito difícil, senão impossível, ter uma visão clara da realidade nessas circunstâncias e conseguir mensurar o perigo real. As tentativas de libertação, são, por esse motivo, vistas como uma ameaça, porque o refém pode correr o risco de ser magoado. É importante notar que os sintomas são consequência de um stress físico e emocional extremo. O complexo e dúbio comportamento de afetividade e ódio simultâneo junto aos captores é considerado uma estratégia de sobrevivência por parte das vítimas."
.
Como eram as relações familiares de Natascha antes do seqüestro? E após o término do seqüestro, será que essa história teve um final feliz? Após a sua fuga, seria natural se esperar que Natascha voltasse pra casa de sua mãe pra tentar recuperar o tempo perdido, no entanto, pouco tempo depois, ela decide sair da casa da mãe e ir morar só num apartamento. Pela recusa de Natascha em dar-lhe dinheiro, a sua mãe chega a se oferecer pra prestar serviços domésticos remunerados em seu apartamento, o que não é aceito pela jovem. O que estava por trás dessa atitude? Como seria a sua relação com a mãe?
.
É difícil fazer a reconstituição desses laços familiares, mas o que se sabe é que, seis meses após ela ter conseguido fugir do seqüestrador, a mãe foi indiciada por participação no crime. Segundo a polícia, a mãe teria planejado o seqüestro para encobrir supostos abusos sexuais sofridos pela menina. O ex-chefe de polícia de Viena confirmou a existência de imagens da jovem seminua e em poses eróticas, encontradas na casa da mãe dias após o seu desaparecimento.
.
A história de Natascha é muito forte, mas será que essa história difere muito de qualquer uma das histórias de quem foi seqüestrada pela Ana e pela Mia?
.
Será que, assim como Natascha, depois de passar por várias situações de sofrimento e, quem sabe, de abusos físicos e psicológicos, você também não foi seqüestrada por elas?
.
Tirando as menininhas mimadas que brincam de ana e mia nos blogs, quem verdadeiramente foi seqüestrada sabe dos intensos sofrimentos que já passaram antes de serem capturadas por elas.
.
Atire a primeira pedra quem tem Ana e Mia de verdade e não passou por uma perda intensa, mesma que nem saiba o que foi que perdeu com essa perda...
.
Muitas perderam o pai e/ou a mãe ainda pequenas, muitas foram abusadas sexualmente, muitas tiveram uma mãe que tentou suicídio, muitas perderam uma amiga que significava a única coisa que restava no meio de uma família despedaçada, muitas tiveram o lar destruído com a separação dos pais, muitas tiveram perdas intensas com viagens para quais não foram preparadas, muitas tiveram mães quem exigiam perfeição extrema, muitas tiveram mães obcecadas por rituais de limpeza, muitas foram espancadas, muitas foram separadas da mãe muito cedo, muitas se sentiram abandonadas com o nascimento do filho mais novo ou uma combinação de sofrimentos como esses...
.
Só depois de terem passado por isso é que vieram a Ana e a Mia para fazer o seqüestro. E elas lentamente mudam de status e se tornam as melhores amigas de quem já sofreu tanto assim...
.
Por que Natascha não fugiu? Será que ela tinha pra onde fugir? Será que tinha pra onde voltar?
.
E você, acha que tem pra onde voltar? Ou só lhe restou a Ana e a Mia na vida?
.
O certo é que uma parte de Natascha estava viva e bem viva. O seqüestrador havia tomado o seu corpo mas não a sua alma. E a alma de Natascha queria se libertar... Ela acreditou que a vida tinha que ser mais do que só sofrimento. Ela fugiu! E ao fugir ela conseguiu ser maior que toda a opressão que ela viveu antes e durante o sequestro. Natascha descobriu que era forte e usou sua força a seu favor, ela acreditou mais na vida do que na morte e venceu! Natascha se tornou símbolo da força interior que é capaz de vencer qualquer obstáculo!
.
E você, consegue acreditar que a vida pode ser mais do que essa prisão que a Ana e a Mia lhe proporcionam?
.
Este post vai continuar sendo escrito ao longo do dia...

sábado, 17 de novembro de 2007

SÍNDROME DE ESTOCOLMO - PARTE 1


Estamos em 1998...

Natasha tem 10 anos. Ela está a caminho da escola...

Ela ainda não sabe, mas, sua vida vai se modificar drasticamente...


Uma ida rotineira à escola foi transformada no mais longo sequestro da história...

Natasha foi agarrada por um homem, colocada em um furgão e levada para um cubículo, construído embaixo de uma garagem, onde permaneceu refém por 08 anos. Só ela sabe as atrocidades que sofreu nesse cubículo...


O que essa história, digna de uma filme de terror, tem a ver com qualquer um de nós?

O que tem a ver com quem sofre com anorexia e bulimia?

sábado, 3 de novembro de 2007

DIÁRIO DE UMA ANA/MIA - PARTE 2


A quem pertence o relato do post anterior?
De que blog foi retirado?
Quando foi escrito?
O que vocês acham que envolvia todo o ritual com a alimentação, a busca de um corpo perfeito?
Vocês acham que o poder da mídia ou a pressão da sociedade por corpos "perfeitos" é capaz de criar um fenômeno como a anorexia e a bulimia?
.

O texto que vocês leram no post anterior foi escrito por uma garota de 20 anos. Diferentemente do que vocês imaginaram, ele não foi retirado de nenhum blog, até porque quando ele foi escrito não existia nem mesmo computador. O posto anterior foi retirado de um diário escrito em 1916. A garota em questão sofria com a anorexia e a bulimia desde os seus 15 anos, provavelmente a mesma idade que vocês tinham quando começaram os mesmos sintomas, não é mesmo?

Nessa época não existia mídia, pressão da sociedade, modelos magérrimas para servir de inspiração, televisão, internet, blogs e nada que pudesse influenciar qualquer comportamento que pudesse criar uma pressão interna para gerar uma relação tão obsessiva com a alimentação.

Se não havia nada que pudesse alterar ou influenciar tão drasticamente esse comportamento, por que passados mais de 90 anos da escrita deste diário tantas pessoas se identificaram com ele como se tivesse sido escrito hoje?

Vocês não desconfiam por que?

A resposta é simples: Porque não se trata de um "Lifestyle", não se trata de uma escolha por um "modo de vida" pura e simplesmente. Se fosse assim, seria fácil entrar assim como sair. Quem conseguer sair de uma Ana e uma Mia depois do processo instalado? Que Ana ou Mia consegue emagrecer, se olhar no espelho e dizer: "agora eu estou linda assim, posso parar..."? Quem consegue parar a obsessão de contar calorias e de ver a sua imagem distorcida mesmo quando a balança e os amigos dizem exatamente o contrário?

A adolescente que escreveu o diário havia sofrido várias perdas afetivas durante a sua vida. A sua anorexia e bulimia, então, não seriam formas de reagir a essas perdas?

E quanto a vocês, que perdas sofreram?

Se a anorexia e a bulimia são formas de reagir a essas perdas afetivas, será que essas seriam as melhores formas de fazer isso ou isso só amplia o sofrimento?

Você acha que tem o controle sobre isso?

Se você quisesse parar agora, conseguiria?

Consegue responder a essas questões?

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

DIÁRIO DE UMA ANA/MIA - parte I


"Eu não como sempre de maneira regular. Às vezes, sou dominada por um estado de espírito estranho que me leva a comer muito, estado que considero o estado de decadência de um ser humano que decaiu moralmente.
.
Quando começo a comer muito, um pessimismo, um profundo desespero, uma indiferença total, uma incapacidade de tomar decisão porque não há nenhum desejo nem alegria por nada, tudo isso toma conta de mim.
.
Então eu não trabalho, fico completamente embrutecida e muito mole. Como e durmo quase o dia todo. Depois engordo uma enormidade, como se tivesse inchada. Minha aparência exterior muda, e fico com outra cara. Não quero me vestir, posso por roupas velhas e largas, não me penteio e não me lavo. Em meu quarto reina nesse momento uma desordem horrorosa e, bagunçados, peças íntimas, roupas, livros e objetos diversos cobrem o chão em um caos total.
.
Quando me encontro nesse estado, comer torna-se pra mim uma paixão invencível que não posso combater. Doces e bolos exercem, então, sobre mim uma atração tão forte que eu me comparo a uma alcoolatra ou drogada.
.
Qualquer desgraça, amor próprio ferido, ofensa, perda de confiança em si pode causar esse estado. A isso somam-se, então, um doloroso sentimento de inferioridade e um profundo desgosto de mim mesma e de meu corpo. Sinto-me suja, asqueirosa, repulsiva.
.
Ainda a noite é completamente insuportável, e no dia seguinte eu me levanto transformada, sem saber por quê; sinto-me bem, dinâmica, enérgica, de bom humor. Então como pouco. Quando estou em um estado psíquico muito bom, nem como. Sinto-me particularmente bem, alegre, com moral e não como, apesar de sentir fome.
.
Mas se eu como para aplacar minha fome, o remorso, o medo e a melancolia me invadem, sinto-me de novo profundamente decaída moralmente, acho que estraguei tudo e prometo a mim mesma não fazer isso de novo. Com um enorme esforço, tento sair desse estado e me sinto completamente desesperada quando fracasso. E fico assim enquanto nao consigo permanecer sem absorver alimento e assim me livrar de todos os sentimentos torturantes, reestabelecendo a disposição de humor da abstinência".
.
Você se identifica com o relato deste diário?
.
E no seu caso, o que acontece é similar?

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

COMER NADA - PARTE 2


Bem, no post anterior foi contado a história real de uma menina chamada Catarina e sua anorexia...
.
E você, qual a sua história?
.
Já parou pra perceber que, assim como a história da jovem Catarina, a sua história é carregada de dor, perdas e culpas?
.
E a sua relação com a sua mãe, é marcada pelo que?
.
Já reparou que, assim como Catarina, você tenta dar um caráter socialmente aceitável ao seu “comer nada”, aquilo que você chama de Ana/Mia Life Style?
.
Se você parar para observar, vai perceber que por trás do discurso anoréxico existe uma espécie de embate cujo objetivo é a conquista imaginária de um poder sobre si. O pensamento onipotente das anoréxicas por “coincidência” é igual ao dos “santos” e envolve algo como: “Se a vontade humana é tão poderosa, ela deve dominar suas paixões a ponto de suprimi-las”. A anoréxica usa a comida para exercer esse domínio até suprimi-la o máximo possível, já os ‘santos” e religiosos usam o sexo até suprimi-lo de forma total...
.
O que vemos na verdade, é que essa tentativa de domínio tem ceifado muitas vidas e, em alguns casos, produzido algumas aberrações sexuais que pode ser visto pelo fenômeno crescente da pedofilia entre religiosos.
.
Será que a anorexia é apenas um recurso válido para emagrecer ou é realmente uma doença provocada por intensos sofrimentos psíquicos?
.
Será que você sabe realmente o que está acontecendo com você?
.
É que, muitas vezes, estamos tão mergulhados no problema que fica difícil de enxergar sozinho o que está acontecendo.
.
É quase como se fosse uma cegueira auto-sabotadora em que você segue reproduzindo comportamentos sem se dar conta do que está por trás deles.
.
O que está por trás da sua anorexia?
.
Consegue responder a essa pergunta? Tente! Faça um coment!
.
Você deve estar numa idade entre 14 e 22 anos. É nessa idade que você define o que você vai ser pro resto da vida...
.
E aí, o que te parece ficar assim pro resto da vida...?
.
Se acha que não tá bom do jeito que tá, não tá na hora de pedir ajuda para tentar mudar isso?
.
Aguardo mais coments para publicar novo post!

domingo, 14 de outubro de 2007

COMER NADA


Além de não adiantar nada para quem quer emagrecer, deixar de comer é uma grande desculpa pra se sentir mal de forma consentida, ou seja, é uma autorização dada para se sentir mal usando como argumento um possível bem que pode ser conquistado através desse sofrimento auto-imposto.
.
Esse argumento é válido? Será?
.
Quem já fez no-food sabe das pseudo-promessas de felicidade que a perda de peso traria. Quem já não atingiu o peso ideal através de NF e, no lugar do paraíso prometido, encontrou literalmente o inferno das obsessões?
.
Esse argumento do ideal de felicidade e de conquista do paraíso é mais velho que a bisavó da minha tataravó. Na idade média já existiam aquelas que se diziam “santas” e que se abstinham por dias e dias de qualquer alimentação em nome de um suposto bem maior. Uma dessas Santas anoréxicas é Catarina de Siena.
.
Por trás da Santa e de sua anorexia, existia antes uma menininha e toda uma história. Catarina era a 24ª de 25 irmãos e era gêmea. Sua irmã foi criada por uma nutriz e morreu rapidamente. Catarina foi alimentada no seio da mãe, que nunca lhe deixou de recordar que ela é sua favorita, já que lhe sacrificou a irmã gêmea. A relação de Catarina e sua mãe foi marcada por situações de cólera, de fúria e de infinitas censuras, mas os excessos dessa relação eram evidenciados também por uma extrema dependência e cumplicidade de ambas.
.
Quando Catarina era apenas uma jovenzinha, a mãe decide arranjar um bom casamento para ela a fim de resolver os problemas financeiros da família. A pressão é tanta sobre Catarina que ela é enviada para sua irmã mais velha que também tenta convencê-la a casar-se. Enquanto está na casa da irmã, esta acaba por morrer de parto. Catarina sente-se extremamente culpada e volta para casa da mãe. Chegando lá, a mãe decide que Catarina devia casar-se com o viúvo de sua irmã. Tal coisa é de tal monta inominável que leva Catarina a recolher-se em si e iniciar um jejum austero e sobre-humano. Naquele tempo comer nada era chamado de jejum e seu caráter místico religioso camuflava a complexidade do sintoma e o tornava aceitável socialmente.
.
Quando Catarina por fim morre, ela está tão magra que seu umbigo quase lhe tocava o rim.
.
(to be continued...)

domingo, 7 de outubro de 2007

Anorexia - Apenas uma forma de emagrecimento ou uma doença?

Ontem estava conversando no MSN com uma garotinha de 14 anos...

No meio da conversa ela me diz: "morro de inveja de quem tem anorexia"!

Por "coincidência", no mesmo dia, uma outra garota com 16 anos diz: "eu quero ter "ana"...

Recentemente vi num blog uma "receita para ser ana"...

É possível imaginar que a "única" forma de emagrecer seja através de uma doença?

É possível encontrar algum tipo de felicidade através da Anorexia ou da Bulimia?

Existe algo do que se invejar numa imagem como vemos acima?

Olhem pra esse olhar! Olhem pra alma dessa pessoa! Vejam além dos ossos...

O que vocês vêem?

Tristeza...
Abandono...
solidão...
desilusão...

Alguém consegue ver algum tipo de felicidade nessa imagem?

Vou compartilhar com vocês um post que me comoveu muito:

"Não sei como comecei a miar, só lembro que sempre quis ser magra, e já fui por sinal, já fui magrela e na época detestava, e estou aki hj tentando correr atrás de 5 anos de prejuízo físico, pq o corpo tá lento, já não emagreço com a mesma facilidade, e principalmente do efeito colateral psicológico, não me permito mais me acabar por causa dessa maldita Bulimia, sim detesto chamá-la de mia, parece que temos um laço de intimidade, e não qro mais nenhuma intimidade com ela, ela me tirou mtas coisas, ela me estragou quero voltar a ter vontade de sair, qro voltar a dar risada como eu dava, eu qro comer sem culpa eu qro comer e não vomitar, nem tomar laxantes ou chá de sene, eu qro voltar a ser uma pessoa FELIZ !!! Quero voltar a viver...

E você, quer voltar a ser feliz?

Quer voltar a viver?

(o texto vai continuar sendo escrito durnte todo o dia...)

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

DOIS MESES DE THINSPO...


O Thinspo completa dois meses hoje...
.
Podia fazer um post enorme contando as venturas e desventuras passadas nestes dois meses.
.
Mas não vou fazer isso...
.
Hoje queria apenas dizer obrigada a todas aquelas que tiveram coragem para confiar...
.
Queria agradecer pelas lágrimas derramadas...
.
Pelos sorrisos distribuídos...
.
Por todas as trocas de carinho...
.
Por todos as visitas no blog...
.
Por todos os coments...
.
Enfim, obrigada!
.
Meu desejo é que vocês possam se sentir aqui no Thinspo como nas palavras de George Eliot:
.
" Ah! O inexplicável conforto de se sentir seguro com uma pessoa em que se pode confiar
sem ter que pesar os pensamentos,
nem medir as palavras,
simplesmente podendo dizer tudo,
na forma como as palavras vêm,
com o joio e com o trigo junto,
na certeza de que uma mão hábil vai separá-los,
mantendo aquilo que é bom
e, com um sopro suave, vai deixar o resto ir com o vento"...

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

SAINDO DA CAVERNA...



Imaginemos uma caverna subterrânea onde, desde a infância, algumas pessoas estão aprisionados. Suas pernas e seus pescoços estão algemados de tal modo que são forçados a permanecer sempre no mesmo lugar e a olhar apenas a frente, não podendo girar a cabaça nem para trás nem para os lados.
.
A entrada da caverna permite que alguma luz exterior ali penetre, de modo que se possa, na semi-obscuridade, enxergar o que se passa no interior. Entre a luz e os prisioneiros – no exterior, portanto – há um caminho ascendente ao longo do qual foi erguida uma mureta, como se fosse a parte fronteira de um palco de marionetes. Ao longo dessa mureta-palco, homens de fora da caverna transportam estatuetas de todo tipo, com figuras de seres humanos, animais e todas as coisas.
.
Por causa da luz e da posição ocupada por ela, os prisioneiros enxergam na parede no fundo da caverna as sombras das estatuetas transportadas, mas sem poderem ver as próprias estatuetas, nem os homens que as transportam.
.
Como jamais viram outra coisa, os prisioneiros imaginavam que as sombras vistas são as próprias coisas. Ou seja, não podem saber que são sombras, nem podem saber que são imagens (estatuetas de coisas), nem que há outros seres humanos reais fora da caverna. Também não podem saber que enxergam porque há a luz no exterior e imaginam que toda a luminosidade possível é a que reina na caverna.
.
Que aconteceria se alguém conseguisse se libertar? Que faria um prisioneiro libertado? Em primeiro lugar, olharia toda a caverna, veria os outros seres humanos, a mureta, as estatuetas e a fogueira. Embora dolorido pelos anos de imobilidade, começaria a caminhar, dirigindo-se à entrada da caverna e, deparando com o caminho ascendente, nele adentraria.
.
Num primeiro momento ficaria completamente cego, pois a fogueira na verdade é a luz do sol e ele ficaria inteiramente ofuscado por ela. Depois, acostumando-se com a claridade, veria os homens que transportam as estatuetas e, prosseguindo no caminho, enxergaria as próprias coisas, descobrindo que, durante toda a sua vida, não vira senão sombra de imagens (as sombras das estatuetas projetadas no fundo da caverna) e que somente agora está contemplando a própria realidade.

Libertado e conhecedor do mundo, o prisioneiro regressaria à caverna, ficaria desnorteado pela escuridão, contaria aos outros o que viu e tentaria libertá-los. Que lhe aconteceria nesse retorno? Será que os demais prisioneiros acreditariam em suas palavras? Será que ouviriam as suas palavras e, contra a vontade dos demais que preferiam a caverna, também decidiriam sair da caverna rumo à realidade? (Alegoria da Caverna - de Platão)
.
E quanto a você? Que escolha você faz, permanecer na caverna ou sair dela?

O mundo que você vive é o da realidade ou o das sombras? O que você tem vivido, uma vida cheia de potencialidades ou você vive a vida como se tivesse preso a correntes? Qual é a sua caverna particular a que você foi submetido desde a infância? O que são essas imagens que você vê, vida real ou apenas sombras? É possível sair dessa escuridão, desse estado de tristeza, dessa solidão?
.
O trabalho do Thinspo é o de alguém que já conheceu a escuridão dessa caverna, que já viveu tudo isso e conseguiu se livrar dessas correntes e que está de volta para dizer que existe um mundo além dessas sombras. É possível ver um mundo de cores além desse todo preto...
.
Quando estamos mergulhados nisso, na tristeza, no abandono, no sofrimento e na anorexia e bulimia que, muitas vezes decorre disso - temos a tendência de acreditar que a vida é só isso! Mas não é! E o Thinspo quer exatamente mostrar isso, que é possível sim sair dessa caverna, que é possível sim ver outro mundo além do mundo das sombras.
.
O trabalho do Thinspo é, então, ajudar você a sair da caverna para ver a realidade, para deixar de ser submisso a essa falsa realidade que vem sendo apresentada a você desde a infância. Estamos convidando, cada um de vocês, para acordar para esta realidade para que se possa descubrir o verdadeiro mundo que existe e que vocês ainda não conhecem.

É fácil? Não, não é. Mas é possível! Acredite!

No Thinspo é feito um lento e persistente trabalho rumo à saída desta caverna. O trabalho envolve uma série de etapas que vão desde a compreensão do que é esse mundo das sombras particular de cada um, passando pela quebra dos grilhoes até seguir rumo à saída da caverna.

Durante todo esse caminho, o corpo não é esquecido. Ele vai sendo cuidado para que possa dar conta dessa caminhada, já que os anos de caverna o debilitaram demais.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

FRACASSO?


Olá a todos! Desculpem a demora em postar mas, toda vez que inicia uma nova turma Thinspo, o tempo fica quase todo dedicado exclusivamente às Thinspo Girls.
.
O texto de hoje é uma contribuição da Thinspo Garbagee e é muito propício a este momento de início de trabalhos. Pra você que tá aí com a "boca escancarada esperando a morte chegar", que tal se levantar daí e tentar de novo fazer aquilo que você sempre quis fazer. Seja lá o que for!
.
E lembrem-se: "preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer" vencer.
.
“Fracasso não será fracasso, se dele tirarmos uma lição.”Dr. Ronald Niednagel

Para ter êxito em se tornar a pessoa que deseja ser, elimine de uma vez por todas o problema persistente chamado MEDO DO FRACASSO.
.
Todos, em uma ou outra ocasião, se sentiram um completo fracasso. Muitos deixaram que esse medo os destruísse. Na verdade, o medo é muito mais destrutivo do que o fracasso, e em todas as áreas da vida, esse medo pode derrotá-lo antes que você comece.
.
Você pode imaginar soluções, pode ter idéias criativas, mas até que elimine o temor do fracasso, seu projeto jamais entrará no campo das realizações. Suas metas transformar-se-ão em pântanos, onde suas melhores idéias se afundarão. Ao invés de o animar, sufocá-lo-ão.
.
O que é que nos faz ter medo do fracasso? É a preocupação com o que os outros possam pensar. “O que é que eles vão dizer?”, pensamos, como se fracassar fosse o maior dos escândalos. Supomos que, por que cometemos um ou vários erros, somos uns fracassados e, portanto, estamos condenados para todo o sempre. Que suposição mais ridícula!
.
Quantas pessoas vencem em todos os aspectos da vida? Nenhuma. As pessoas mais bem-sucedidas são as que aprendem com seus erros e transformam os fracassos em oportunidades. Todas as descobertas científicas, todas as iniciativas nos negócios e todos os casamentos felizes resultaram de uma série de fracassos. Ninguém tem sucesso sem eles.
.
O fracasso significa que você fez um esforço. Isso é bom. O fracasso lhe dá a oportunidade de aprender uma maneira melhor de agir na ocasião seguinte. Isso é positivo. O fracasso lhe ensina alguma coisa e lhe aumenta a experiência. Isso é muito útil.
.
O fracasso é um fato, nunca uma pessoa; uma atitude, não um resultado; uma inconveniência temporária; um meio para se alcançar alguma coisa. Nossa reação determina até que ponto ele pode ser útil. Podemos eliminar o fracasso da nossa vida, dando outra definição ao seu significado.
.
Fracasso não significa que você é um fracassado... Significa que você ainda não teve êxito.
.
Fracasso não significa que você tem sido tolo... Significa que você teve muito otimismo.
.
Fracasso não significa que você foi desacreditado... Significa que estava disposto a tentar.
.
Fracasso não significa que você tem falta de capacidade... Significa que você deve fazer algo de modo diferente.
.
Fracasso não significa que você é inferior... Significa que você não é perfeito.
.
Fracasso não significa que você desperdiçou sua vida... Significa que você tem motivos para começar de novo.
.
Fracasso não significa que você deve desistir... Significa que deve lutar com maior afinco.
.
Fracasso não significa que você jamais alcançará sua meta... Significa que vai levar um pouco mais de tempo.
.
Fracasso não significa que Deus o abandonou... Significa que Deus tem uma idéia melhor!
.
Anule o medo do fracasso e prossiga!
___________________________________________________
.
E como diria o Velho Raul Seixas:
.
" Tente! E não diga que a vitória esta perdida. Se é de batalhas que se vive a vida. Tente outra vez"!
.
"Sucesso é uma questão de não desistir, e fracasso é uma questão de desistir cedo demais.” Walter Burke
.
E lembrem-se: "A Thinspo que teme perder já está vencida".
"Conhecer-se é dominar-se, dominar-se é triunfar".

domingo, 16 de setembro de 2007

Eu vejo asas...



Já me perguntaram, mais de uma vez, sobre o porquê do trabalho como o do Thinspoaction...

Qual o objetivo de fazer esse trabalho? Me perguntam... Já levantaram suspeitas de todos os tipos...

Já tentei responder de forma mais objetiva a essas perguntas mas, hoje, ao sentar aqui para escrever este post decidi deixar fluir o sentimento...

Estamos quase beirando a 1000 acessos em pouco mais de 01 mês de trabalho! Isso é muito bom mas, ao mesmo tempo, traz muita responsabilidade...

Mas, afinal, porque estamos aqui?

Já estive em vários blogs pró-ana e pró-mia e vou resumir um pouco do que eu encontrei:


"A ana ocupou um espaço em minha vida, com dores e tristezas...
Demorou um pouco, mas aprendi, que nao vale a pena, tanto sofrimento, por tao pouco. Meu cabelo cai mto, eu tenho mtas tonturas, e nao sou feliz... realmente de que adianta ser magra e careca?

Espero que um dia kda uma de vcs perceba... o quao eh insuportavel a convivencia com a Ana.. e o quanto ela nos domina..." (addicted Ana)


"talvez eu seja só mais uma menina q se perdeu e não sabe mais como voltar, talvez eu seja eu e só, talvez quando eu me descobrir seja tarde demais." (Ana my obsession)


" Não estou bem. Não estou. Estou cansada. Nem preciso fazer esforço pra nao comer. A tristeza não deixa.
Cansei de chorar feridas que não se fecham... Não se curam.
Me sinto tão sozinha. Tudo me parece falso. E dói tanto.
quero ser pelo menos uma vez...protagonista da porra do filme
que é a minha vida. Porque até agora eu só tenho sido figurante.
A minha vida tem VIVIDO sem mim. Pra mim chega! (Aninha)


Não sei... Fico pensando...

Se vivêssemos num mundo mais humano, essas dores deveriam doer em todos...

Se vivêssemos num mundo menos egoista, as pessoas se importariam com esse sofrimento...

Se vivêssemos num mundo onde o sentimento predominasse sobre a razão, as pessoas fariam alguma coisa para ajudar quem sofre...

Se vivêssemos num mundo onde as pessoas compartilhassem seus dons, não haveria tanta solidão e sofrimento...

Essas dores que vocês sentem já seriam motivos suficientes para a existência do Thinspoaction.

Mas existe ainda um outro motivo; é que, quando eu vejo cada uma de vocês, quando me permito ser atravessada por todas essas dores, eu consigo ver algo além do sofrimento.

E o que eu vejo?

Eu vejo "ASAS"!
Asas? Sim!

Pra mim, essa imagem diz tudo... Isso é realmente o que eu vejo quando eu olho pra cada uma de vocês: anjos! Anjos que ainda não se descobriram! Anjos que esperam apenas uma "força" para começar a voar. Essa é a radiografia de cada uma de vocês!

Esse é o objetivo do Thinspoaction dar essa "força" que vocês precisam para voar! E voar não significa apenas ser leve, vai muito mais além! Significa também se libertar das correntes que impedem esse vôo!

Pra terminar, vou compartilhar um texto do Mestre Indiano Osho que ajuda a explicar o motivo de existência do Thinspoaction:

"Quando reconhecemos a fonte comum de nossa humanidade, as origens comuns dos nossos sonhos e anseios, das nossas esperanças e dos nossos medos, tornamo-nos capazes de perceber que estamos todos juntos no grande milagre da existência. Quando conseguimos somar nossa enorme riqueza interior para criar um tesouro de amor e sabedoria que esteja ao alcance de todos, ficamos todos interligados no mecanismo único da criação..."
.
Na próxima semana, iniciaremos uma nova turma de Thinspo Girls ou, quem sabe, Thinspo Angels...
.
Este Post é dedicado às Thinspo "Angels" Miss Aninhas e Mariah por, cada uma à sua forma, estarem conseguindo abrir suas asas e voar...
.
Por favor, quem fizer o milésimo acesso me fala quem é deixando um coment ok?


Esse texto vai ser escrito e reescrito durante alguns dias...

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

(quase...)
.
Hoje vou compartilhar com vocês o texto integral do Veríssimo citado no artigo anterior...

"Ainda pior que a convicção do não é a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto.
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados.
Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir e o nada, mas não são.
Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo o impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. "(Luiz Fernando Verissimo)
.
Este texto é dedicado à Menina com Medo de Tudo...

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

No meio do caminho tinha uma pedra... (III)



.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.
.
.
.
.


No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento

na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.
.

Que pedras você encontrou no seu caminho e que ainda hoje as carrega pelo simples fato de não saber o que fazer com elas?
.
Que peso é esse sobre o seu corpo que causa tanto sofrimento e que você só sabe gritar através da anorexia/bulimia?
.
Esta semana recebi um e-mail que dizia:

"Não sei ao certo o que fazer só sei que preciso de ajuda, na verdade não sei se quero parar com tudo isso que já faz parte da minha vida há tanto tempo"...

Em algum lugar do tempo, é possível que essa pessoa tenha se esbarrado com a sua "pedra", a sua Kryptonita particular"...

Não sabendo o que fazer com ela, passou a levá-la para todos os lugares onde ia, mesmo sabendo que, de alguma forma se sentia enfraquecida com ela... Mas está de tal forma acostumada com o peso que não sabe se quer parar de carregá-lo. Está tão acostumada que chega até a admirar-se da sua "força" em carregá-la.

Às vezes essa "pedra" é carregada quando alguém decide tomar para si os sofrimentos da família inteira, ela assume esse peso no lugar de alguém amado ou odiado; outras vezes, a pedra assume o significado simbólico de uma culpa que a pessoa carrega; a "pedra" pode ser também uma tentativa de controlar o mundo através de um elemento externo já que o mundo interno está tão devastado que acredita-se não haver possibilidade de controle.

No seu caso, que significado tem essa "pedra" pra você? Qual é a sua kryptonita particular?

Todos os que passam por Transtornos Alimentares como Ana e Mia, já passaram anteriormente por sofrimentos inimagináveis: abusos físicos, emocionais, abandonos, perdas. Porém, mesmo com tudo isso, cada uma dessas pessoas, pelo menos em um momento na vida, teve a chance de largar essa "pedra" e não o fez. E isso se torna uma oportunidade não aproveitada de mudar todo o curso dessa vida tão sofrida já que o grande problema não é o tempo perdido, não são as cabeçadas dadas, não são os erros do passado. A questão principal é: o que fazer com que o passado fez com você?

Se pelo menos essas pessoas pudessem perceber que o grande crime que o ser humano pratica é aquele que é feito contra si mesmo, contra a sua alma, quando não se faz uso de todo o seu potencial de vida.

Se pelos menos fôssemos mais corajosos, se pelo menos temêssemos menos a possibilidade de ser o que somos, com todos os nossos erros e acertos, certamente, não precisaríamos de tantas interdições auto-impostas, principalmente as provenientes da anorexia/bulimia.

Tá, mas aí você pode pensar consigo mesmo: "Eu consigo ver tudo isso, e agora?" O que fazer?

Então é preciso entender que, toda e qualquer intervenção nessas dores internas simbolizadas por essa "pedra" que você carrega passa, necessariamente, por uma intervenção na forma como você lida com a comida. Ela é o meio através do qual podemos acessar essas dores. Ela é a porta de entrada e também a porta de saída de tudo isso.

Se você entende que Ana e Mia são formas paliativas de lidar com essa dor e representam o Curto Caminho Longo que não leva a lugar nenhum, então, procure o Thinspoaction.

Através do Longo Caminho Curto, faremos a difícil travessia desse rio cheio de pedras no qual você tem caminhado por tanto tempo.


Pra terminar este post, pelo menos por hora, gostaria de compartilhar com vocês um texto do Veríssimo:

Para os erros há perdão, para os fracassos chance, para os amores impossíveis tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo o fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você, gaste mais horas realizando que sonhando... fazendo que planejando... vivendo que esperando. Porque embora quem quase morreu ainda vive, quem quase vive já morreu.


O texto de hoje vai ser construído ao longo do dia...

domingo, 2 de setembro de 2007

UMA ORAÇÃO...


Recuse-se a cair
Se não puder se recusar a cair,
recuse-se a ficar no chão
Se não puder se recusar a ficar no chão,
eleve o coração aos céus
e, como um mendigo faminto,
peça que o encham,
e ele será cheio.
Podem empurrá-la para baixo.
Podem impedi-la de se levantar.
Mas ninguém pode impedi-la
de elevar seu coração aos céus,
só você...
É no meio da aflição
que tantas coisas ficam claras.
Quem disser que nada de bom resultou disso
ainda não está escutando... (C.P.Estés)
.
.
O post de hoje é dedicado à Thinspo Deinha que passa por um momento de aflição particular...
Nosso coração está com você menina!

sábado, 1 de setembro de 2007

PARA DIAS NUBLADOS...


Recebi um e-mail que dizia o seguinte:
.
"... tô passando por um período de dificuldade muito grande. Às vezes penso que nada vale a pena e que esses dias nublados são um convite para desistir de tudo..."
.
Vou compartilhar com vocês uma parte da resposta...
.
A situação parece estar bastante difícil, não é mesmo?
.
Mas eu gostaria que você olhasse para o período que você está passando: ele é mesmo de dificuldade ou é de transformação?
.
Os períodos de dificuldade são aqueles dos quais você não consegue extrair nenhum aprendizado e, quanto mais você resiste, mais você afunda. Os períodos de transformação são aqueles que, apesar de extremamente difíceis e penosos, te dão uma possibilidade única de mudar.

Deixe-me compartilhar com você uma metáfora bastante interessante entre os seres humanos e a pipoca. É, é isso mesmo... Que diria, milho para pipoca!
.
Veja, o milho para pipoca não é o que deve ser. Pois ele só se torna o que deveria após o estouro. Com a gente, em certas ocasiões, não é diferente: antes da transformação, muitas vezes somos duros feito o milho.

Nesse caso, a transformação só acontece pelo poder do fogo. Milho de pipoca que não passa pelo poder de fogo continua a ser milho, só milho.. Assim acontece conosco. Grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
.
O fogo acontece quando a vida os lança numa situação de dor nunca antes imaginada. Pode ser o fogo de fora: perder um amor, perder um amigo, perder a família, ficar doente, perder o emprego, ficar pobre. E pode ser o fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão, anorexia, bulimia e outros sofrimentos cujas causas vocês ignoram.

Quando a vida o coloca numa situação assim, você tem duas alternativas: tentar apagar o fogo ou passar por ele. Quando se está fechado numa panela de problemas, que vai ficando cada vez mais quente, é difícil pensar numa outra alternativa a não ser desistir de tudo.
.
A pipoca, dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, não pode imaginar um destino diferente. Não pode imaginar que uma transformação está sendo preparada. E, quando menos se espera, pelo poder do fogo a grande transformação acontece e ela se transforma em uma outra coisa completamente diferente do que havia imaginado e que ela mesma nunca havia sonhado.

Veja, não perca a esperança não, espere um pouco, observe o que o aguarda, depois de passar pelo fogo. Mas não fique parado: tente, levante, recomece,
tente outra vez!

E lembre-se de que os dias nublados são transitórios, mas o sol que está por trás deles é permanente. Então, não se desespere, porque isso também passará.
.
Pode contar com a ajuda do Thinspo, com a minha mão estendida e o meu coração aberto...