sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Tudo escuro...


Não sei bem por onde começar...

Na verdade, nunca imaginei que escreveria um texto assim...

Acho que lágrimas e digitação não combinam muito.

Estou há um pouco mais de um ano com o blog Perfection. Um ano já? Até pra mim isso é uma surpresa!

Aqui conheci pessoas incríveis por quem nutro uma profunda admiração pela coragem de tentar vencer uma doença tão devastadora como a anorexia.
.
Já chorei muito aqui, me comovi demais com muitas das meninas que confiaram em mim para compartilhar suas histórias de vida. Algumas conheci pessoalmente, com outras troco emails, com diversas converso no MSN e por telefone. Quem me conhece sabe que tô sempre disponível. Algumas vezes fui acordada no meio da noite pra longas e fantásticas conversas.

Apesar de ser psicanalista de profissão, nunca me senti uma psicanalista aqui. Na verdade, sempre me senti como alguém com quem se podia contar... uma amiga, uma irmã, uma mãe, alguém que se importa, sei lá... tudo, menos psicanalista; apesar de ter sempre uma escuta particularmente sensível.

Talvez o fato de não me refugiar sob a capa de psicanalista me torne emotiva demais ou demasiadamente humana. É assim que estou me sentindo hoje: demasiadamente humana...

Pra quem está de fora ou talvez mesmo pra quem esteja dentro seja difícil imaginar como sou tocada por cada uma das meninas com quem mantenho contato.

Hoje está sendo um dia particularmente difícil e extremamente doloroso. Tão doloroso que, pela primeira vez, pensei em abandonar o blog...

Talvez ninguém imagine o quanto fico devastada quando sei que pessoas que eu amo estão sofrendo e o que é pior: quando sei que elas mesmas estão se auto infligindo esse sofrimento sem que eu possa fazer nada...

Isso me leva a uma série e questionamentos: Continuar pra que? Qual o sentido de estar aqui? Será que algum dia, de verdade, eu ajudei alguém?

Não tenho respostas...




quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Para Andie...


Hoje é o aniversário da Andie (ossodeanjo.blogspot.com) e queria oferecer a ela um texto da Elisa Lucinda que eu gosto muito, o título é: Só de sacanagem


Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta à prova? Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro. Do meu dinheiro, do nosso dinheiro, que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós. Para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais. Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.
.
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz. Mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
.
Meu coração tá no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó E dos justos que os precederam: “Não roubarás”. “Devolva o lápis do coleguinha”. “Esse apontador não é seu, minha filha”.
.
Pois bem, se mexeram comigo, Com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, Então agora eu vou sacanear: Mais honesta ainda vou ficar!
.
Só de sacanagem! Dirão: “Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba” E eu vou dizer: “Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez”. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos. Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês.
.
Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau. Dirão: “É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal”. E eu direi: “Não admito, minha esperança é imortal”.
.
E eu repito: “Ouviram? IMORTAL!”
.
Sei que não dá para mudar o começo. Mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!
.
Então, Andie, que tal a gente agora sacanear com quem sacaneou a gente a vida inteira fazendo a gente se sentir menos do que o que a gente realmente é? Que tal a gente se vingar dessas pessoas tentando ser feliz, tentando fazer da nossa fraqueza força para, finalmente, ser o que a gente pode ser?
.
Que tal mudar o final da sua história?
.
Feliz aniversário Andie! Desejo que hoje você seja boa para com você mesma. Não desejo um dia "perfeito" para você, mas desejo que você tenha um dia suficientemente bom para que você possa apreciar coisas simples como borboletas voando no jardim!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

FELICIDADE REALISTA

"Dizem que é preciso arrepiar-se! Que é preciso surpreender-se com a beleza de alguns raros momentos e conhecer a importância da normalidade de outros. Pois bem, hoje percebo o que é (um estado de) felicidade. Ela chegou até mim disfarçada, um pouco disforme. Mas eu sei que ela está aqui.Eu sei reconhecer a felicidade num e-mail, em comentários fofos, numa ligação a noite, num trabalho elogiado, numa semana sem compulsões e sem vomitar (weeeee!!), num blog conjunto, em 3kg a menos na balança, ao encontrar dinheiro no bolso de uma calça jeans que fazia tempos que não usava, pois não me servia.Prometo que não vou desejar isso pra sempre, mas confesso que desejo isso pelo menos pra hoje (pra mim e pra vocês!)". (Anna Dark)

Esse post da Anna "Shine" me lembrou uma crônica do Mario Quintana sobre "felicidade", mesmo pra quem já conhece, valena a pena ler de novo!

FELICIDADE REALISTA
Por Mário Quintana

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor.. não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo.

Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.

É o que dá ver tanta televisão.Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Vocêpode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com umparceiro, feliz sem nenhum.

Não existe amor minúsculo, principalmente quandose trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo.Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé eum pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar! É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza,instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio.

Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.

Se a meta está alta demais, reduza-a.

Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo.

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça de que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.

Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade... "

Que tal buscar a felicidade de forma diferente? Dessa vez sem dor, sem sofrimento, sem perseguir o impossível...

Não seria a anorexia/bulimia uma busca pelo impossível?