segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Essa história tem a ver com a sua?

Este blog existe há mais de um ano. Quem passou por aqui e quem entra ou entrou em contato comigo sabe o respeito, a preocupação e atenção que eu dedico a tudo que diz respeito à anorexia e à bulimia e, principalmente, o carinho que eu tenho por todas as meninas dos blogs.
Tem sido minha preocupação constante trazer alguma luz sobre esse tema, fazer reflexões e discutir esse assunto com vocês.
Hoje queria mostrar um trecho de um filme... antes de apresentá-lo queria dividir com vcs um post que encontrei recentemente e que, "por coincidência", fala exatamente a respeito do tema que quero refletir hoje com vcs:

fatortsunami.blogspot.com
Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008


Working it out.

Válvulas de escape. Essa é a idéia.
Eu sempre me perguntei porque eu sofria tanto. Nas últimas três semanas, mais ou menos, me dei conta de que eu perseguia o sofrimento - determinados tipos de sofrimento. Comecei agora a entender porque. Uso o sofrimento como válvula de escape.
Sofrimento na vida é inevitável. A gente sofre porque é humano, e esse é o mesmo motivo pelo qual merece ser feliz. Frisemos isso: merecemos a felicidade apenas por sermos humanos. E aí vem a dificuldade, pelo menos pra mim, de acreditar nisso.
A parte doentia da coisa reside nesse ponto. Estou - uso a primeira pessoa porque não quero generalizar - tão acostumada a sofrer, que tenho medo de sair disso. O sofrimento é um vício seguro, enquanto buscar a felicidade pode ser perigoso - vai que eu não alcanço...
No entanto, os sofrimentos naturais da vida são inesperados. O sofrimento é cuidadosamente planejado pelo subconsciente, então me agarro nele porque lá no fundo acredito que, se meu subconsciente planejou, eu vou, com minha onipotência, ser capaz de sair disso e resolver meus traumas sozinha. (Essa é a parte em que o leitor diz: "Cara, você é doente!". E eu digo "Sim, eu sei.")
Então, se eu não estiver sofrendo, vou estar fazendo o quê?
Nesse exato momento não sei dizer o que estou sentindo porque não estou realmente sofrendo. Mas estou o quê? Não é adrenalina do desespero nem da euforia nas veias, então que sensação é essa?
Estou tentando trabalhar isso. Achar aquele caminho entre a depressão mutiladora e a euforia desesperadora, e seguir nele. Acho que o nome disso seria "tranqüilidade", mas eu ainda, apesar de estar me esforçando (mesmo!), não aprendi como lidar com isso.

_____________________________________________

Vamos ao filme...

TRADUÇÃO:

“Meu nome é Walter e eu sou novo no grupo. Mas não sou novo nessas reuniões. Tenho freqüentado há 18 anos. Esta é minha 936º reunião consecutiva e em todo esse tempo não fiz nenhuma aposta, nenhum centavo. Então sei de onde vc ta vindo Leon (falando para um dos participantes do grupo de jogadores anônimos), acredite em mim, eu sei. Ouvi sua história e ela tem muito a ver com a minha. Mas preciso dizer que, se aprendi alguma coisa na vida, é que O JOGO NÃO É O PROBLEMA! Não é? Não! Nem chega perto!
Não sei como dizer isso sem parecer um pouco rude, mas vc é um tolo, Leon. Como um carro ruim, há algo defeituoso em todos nós nesta sala. Somos todos tolos! Parecemos com todos os outros mas, o que nos faz diferentes é o nosso defeito.
A maioria dos jogadores, quando vão jogar, vão para ganhar. Quando nós vamos jogar É PARA PERDER, inconscientemente. Eu nunca me sinto melhor, mais vivo quando levam minhas fichas ou quando as trazem. Diabos, é só uma questão de tempo antes de devolvermos tudo!
Quando perdemos, isso é outra história! Quando perdemos, estou falando do tipo de perda que faz você se borrar todo... sabe o que acontece aí? Vcs acabaram de ressuscitar ou de recriar o pior pesadelo possível, o mais assustador deles pela milésima vez! E vc está lá e, de repente, se dá conta: Ei! Eu ainda estou aqui! Eu ainda respiro! Ainda estou vivo! NÓS TOLOS NOS FERRAMOS O TEMPO TODO DE PROPÓSITO pq precisamos lembrar que estamos vivos (que, de alguma forma, sobrevivemos a essa sensação).
Leon, O JOGO NÃO É SEU PROBLEMA! É ESSA DROGA DE NECESSIDADE DE SENTIR ALGO PARA SE CONVENCER QUE VC. EXISTE"!_____________________________

Qual é o seu vício? Certamente não é a comida e nem a falta dela...

Qual é o seu pior pesadelo? O abandono? A rejeição? A derrota?

Qual é o seu pesadelo de verdade, aquilo que te faz se borrar toda? Como vc faz para recriá-lo usando a comida para isso?

** Meus agradecimentos a Miss Aninhas por sua preciosa colaboração técnica com o vídeo e por todas as nossas enriquecedoras conversas.

sábado, 20 de setembro de 2008


USE FILTRO

Há algum tempo atrás um clip foi bastante divulgado. Ele se chamava “Use Filtro Solar” e era narrado pelo Pedro Bial. Apesar de ser bastante bonito ele, aparentemente, não tem nada a ver com filtro solar, embora comece e termine com a orientação intrigante: use filtro solar...

Diante disso, eu fiquei imaginando se a autora de um texto tão sensível não estaria querendo fazer uma metáfora com a expressão “Use filtro solar”. Se estivesse, o que ela poderia estar tentando dizer com isso?

Todo mundo sabe que o filtro solar é fundamental para manter a beleza e saúde da pele. Use filtro solar...é importante! Mas não deixe de usar outros “filtros” também pois eles são essenciais à vida e a falta deles pode causar câncer na alma. Os principais filtros para se ter uma vida saudável são: bondade, generosidade, gentileza e amor.

Prestar atenção nos outros é mais fácil, então, comece por usar filtro naquilo que você ouve. Não escute tudo, nem tudo vale pena, nem tudo é verdadeiro. Tanta coisa é dita apenas no momento da emoção e você se magoa tão rápido, vai embora tão depressa e, às vezes, pra sempre. Para esse tipo de radiação o filtro da bondade tem o fator de proteção máximo.

Quando conseguir usar o primeiro com desenvoltura, é hora de começar a usar filtro também no que você fala. Às vezes, você fala demais e palavras cortam como navalha e podem ferir bastante. Experimente o filtro da gentileza, ele é bastante eficaz. Seja gentil com você mesmo, seja gentil com os outros, não leve tudo tão a sério.

Agora chegou a parte mais difícil, usar filtro naquilo que você faz. Mudar de atitude é uma tarefa muito árdua, no entanto, quando você começa a usar filtros no que você escuta e no que você fala, mudar de atitude é apenas uma conseqüência. Seja generoso, mas não somente em dar, é importante também saber ser generoso em receber.

Experimente também o filtro do amor e você vai perceber que ele é adequado para todas as situações, além de fazer um bem danado ao coração. Use filtro também em relação aos seus desejos, isso vai te proteger contra as obsessões de ter desejos maiores do que sua boca.

Não é preciso esperar o verão chegar para tirar o filtro solar da gaveta nem tampouco para usar os demais filtros, pois os raios que causam queimaduras na sua pele e na sua alma atuam em todas as estações do ano.

Todo mundo sabe que o Filtro solar bloqueia a passagem dos raios nocivos à pele, deixando-a exposta aos raios menos prejudiciais. Assim você obtém o que se pode chamar de "bronzeado saudável". Com os outros filtros não é muito diferente já que eles bloqueiam a passagem da indiferença, da dúvida, da desconfiança, do desamor, do egoísmo. Assim você consegue obter paz no coração e usufruir de uma vida mais leve e tranqüila.

Ah! E por falar nisso, preste bastante atenção no seu coração pois ele é tão delicado quanto a sua pele. Porém, é normal que se perceba mais queimaduras na pele do que no coração, por esta ficar do lado de fora. No entanto, muita exposição a elementos tóxicos pode causar queimaduras irreversíveis no coração. O que intoxica seu coração e contamina a sua alma? Nesse caso, use um fator de proteção mais alto e sempre reaplique o filtro, tomando cuidado redobrado com esse órgão vital.

Agora, só mais um lembrete: filtro solar não possui contra-indicação assim como os demais filtros também não. Mas é importante estar consciente da importância de ser bom, generoso, gentil e amoroso com você mesmo, do contrário, essas virtudes se tornarão apenas uma máscara sob a qual você representa um papel.

Use filtro no que você come, no que você bota pra fora, no que você pensa, no que você julga... enfim, USE FILTRO!

Portanto, lembre-se que usar filtro deve fazer parte da sua vida, para evitar problemas na pele, envelhecimento precoce, danos ao coração e manter você sempre lindo(a) , por dentro e por fora!


Quem quiser ver o clip de novo aqui vai: http://br.youtube.com/watch?v=Nipbe2awy58&feature=related

terça-feira, 9 de setembro de 2008

DESABAFO DO HERBERT VIANA


Cirurgia de lipoaspiração??
Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo e muito mais piração?
Uma coisa é saúde outra é obsessão.
O mundo pirou, enlouqueceu.
Hoje Deus é a auto-imagem.
Religião, é dieta.
Fé, só na estética.
Ritual é malhação.
Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal.
Ruga é contravenção.
Roubar pode, envelhecer, não.
Estria é caso de polícia.
Celulite é falta de educação.
Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.
A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem? A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem.
Imagem, estética, medidas, beleza. Nada mais importa.
Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa. Não importa o outro, o coletivo.
Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política.
Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada. Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar, correr, viver muito, ter uma aparência legal, mas... Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados, aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser..
Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude. Que eu me acalme. Que o amor sobreviva.
'Cuide bem do seu amor, seja ele quem for.
Texto de Herbert Vianna
.
Vamos discutir o assunto?
.
Por que tanta pressão sobre o corpo?
.
A pressão é sobre o corpo mesmo ou ele é usado como objeto para as nossas descargas emocionais?

terça-feira, 2 de setembro de 2008

QUATRO ESTAÇÕES

Adorei esse texto que encontrei na NET!
.
"Você é uma pessoa suficientemente boa?
suficientemente forte?
suficientemente organizada,
suficientemente amorosa???
.
Você é uma pessoa suficientemente clara?
suficientemente objetiva?
suficientemente esclarecida,
suficientemente dedicada???
.
Você é uma pessoa suficientemente competente?
suficientemente informada?
suficientemente "pra frente"?
suficientemente amada???
.
Se sua resposta for SIM a todas essas questões você deve ser uma pessoa suficientemente santa, portanto, suficientemente morta para que tenha se transformado na pessoa mais maravilhosa do mundo.
.
Ou então, "ai que medo de você!"...
.
Você deve ser uma pessoa suficientemente megalomaníaca porque acredita ser capaz de reunir todas estas dificílimas e exigentes qualidades em você mesma. A dica seria deixar de admirar o próprio reflexo narcisístico, olhar e aproveitar as qualidades de quem está ao seu redor.
.
Se sua resposta for NÃO a todas essas questões, não fique magoada nem chore não, mas você tem grandes chances de ser uma pessoa suficientemente paranóica, com mania de perseguição ou cheia de piedade por si mesma. Precisa urgentemente fazer uma auto-avaliação, procurar um bom terapeuta, se olhar no espelho com calma e dizer: "Eu te amo", porque julga ser incapaz de possuir boas e suficientes qualidades para continuar sendo uma pessoa suficiente.
.
Se sua resposta for SIM a algumas questões e NÃO a outras, parabéns!
Você é uma pessoa suficientemente normal.
Pode conseguir ter uma vida suficientemente tranquila.
suficientemente alegre,
suficientemente triste,
suficientemente razoável e por isso
suficientemente saudável." (Sonia Maria de Carvalho)
.
Ser Suficientemente Bom não seria o segredo da Temperança?
.
A temperança – pertence à arte de desfrutar;
é um trabalho do desejo sobre si mesmo, do vivo sobre si mesmo.
Ela não visa superar nossos limites, mas RESPEITÁ-LOS.
NÃO é o corpo que é insaciável.
A ilimitação dos desejos, que nos condena à falta, à insatisfação ou à infelicidade, nada mais é que uma doença da imaginação.
Temos sonhos maiores que a BARRIGA, e censuramos absurdamente nossa barriga por sua pequenez!
Já o sábio “estabelece limites para o desejo, como para o temor”: são os limites do corpo, e são os da temperança. Mas os intemperantes os desprezam ou querem livrar-se deles.
A temperança não é um sentimento, é um PODER, isto é, uma virtude.
Ela é “a virtude que supera todos os tipos de vício: seja das drogas, da bebida, da comida, da fome ou mesmo o vício da perfeição... (Adaptado do texto de Andre-Comte)
.
A temperaça não consiste em compreender que a natureza de fora, com quatro estações, é igual a natureza de dentro de cada um nós?
.
Nem sempre vai ser calor...
nem só chuva...
nem só vento...
nem só flor...